Wednesday, July 11, 2007

Texto de apresentação

Há algum tempo noto, em minhas pesquisas na internet, a ausência de informações sobre vários artistas. Gente muito boa aqui da Bahia ou mesmo de outros países, com trabalhos excelentes, que não possuem ao menos uma boa reprodução circulando pela rede. Onde encontrar imagens de Rener Rama, Anderson, Walden, Adalberto? E o site de Juarez Paraíso? Ouvi dizer que hoje em dia a pessoa É aquilo que se acha na busca do Google! Fiquei apreensivo! Até então eu não existia! De nada valeriam meus percalços, minha busca estética, minhas idas e vindas à Escola de Belas Artes (aliás, ainda não sou graduado: menti no perfil) e meu constante relacionamento com esse troço chamado Arte se eu, simplesmente, não tivesse uma existência virtual. Existência essa que, por ser “virtual”, suponho, também não exista! Ou seja: dá tudo na mesma! Mas, já que é desse modo que as coisas funcionam ultimamente, vamos lá: - No sexto dia (pois no sétimo vou descansar!), numa espécie de auto Big Bang, crio a mim mesmo a minha imagem e semelhança no mundo da internet (mas “ao vivo” sou mais bonito!). Eis, irmãos, meu espírito consubstanciado em carne e sangue virtuais! Tomai e comei (mas com jeitinho, pra não doer!). Antes que o mundo acabe num apocalipse de poluição e aquecimento global, não posso deixar de frisar que, felizmente, houve o exemplo de Nelson Magalhães Filho - mestre, conterrâneo e incentivador. Em seu Blog (www.anjobaldio.blogspot.com) podemos encontrar, além de pinturas e desenhos, textos e poemas desse artista múltiplo. Também devo agradecer à Vanessa Cersil, designer com paciência para me explicar o pouco que sei sobre o trabalho com imagens no computador. São meus arcanjos, anjos baldios desse Adão cibernético que, se encontrar a maçã, vai comê-la com pimenta, à moda baiana!

Cabeça n°1
óleo sobre papelão (40X60cm) 2006

Cabeça n°2
óleo sobre papelão (50X40cm) 2006

Cabeça n°3
óleo sobre papelão (50X40cm) 2006

Cabeça n°4
óleo sobre papelão (60X40cm) 2006
Cabeça n° 5
óleo sobre eucatex (70X50cm) 2008

Cabeça n°6

óleo sobre eucatex (70X50cm) 2008

Cabeça n° 7

óleo sobre papelão (40X35cm) 2007

Bocas
óleo sobre papelão (50X70cm) 2006

9 comments:

anjobaldio said...

Valeu Rotieh. Fazia tempo que não via novas pinturas. Estão belíssimas. Grande abraço.

Aline said...

Maravilhosas as pinturas!
Estou vendo que vc não perdeu a mão, hein?! Aliás, está melhor do que nunca!
Artista como vc são raros!
E o meu quadro eu até hj espero rsrsrs.
Abraço!

Anonymous said...

WOW!

Anonymous said...

From The Netherlands

Vanessa said...

Ehhh como eu ja tinha dito antes, essas "cabeças" estão fantásticas,
Só fiquei com vergonha da boca hehe, mas tudo bem, tudo pela arte... ainda bem q e ela serviu pra alguma coisa...
bjo

Belinha said...

Muiiito bom ZÉ!!!!
Vou divulgar la em minha pagina...
http://isaekaike.multiply.com
Bjokas duplas...

anjobaldio said...

Estou aguardando novas postagens, e novas TRILHAS DE ACORDEON para novos filmes. Grande abraço.

Olímpio Pinheiro said...

Quando você diz que “um infinito número de imagens mais vibrantes e atrativas se faz presente de forma muito mais dinâmica do que pinturas, eu reflito: será que tais imagens se fazem presentes mesmo? Creio que não, pois quais exatamente destas “imagens vibrantes” se destacam perante o nosso olho?
Acredito que essas imagens são vazias, porque se perdem na nossa mente quando são substituídas muito rapidamente por outras imagens ainda mais velozes: as imagens do inconsciente.
E o que são as imagens da TV perante as imagens da natureza?
As pessoas vêem o que querem ver? Penso que elas são programadas para ver certas imagens diariamente, desde o momento em que elas acordam e sentem uma irresistível vontade de ligar a TV e ver o telejornal. As imagens de miséria da TV inserem culpa e medo nas pessoas. Devido a tensão que sentem elas querem consumir para aliviar o esstresse. É nessas horas que a arte - o trabalho artístico manual - se impõe no mundo para existir e fazer diferença. E porque não dizer: para ser consumido? E até mesmo gratuitamente. É só pensarmos na arte pública, por exemplo, o grafite.

Aproveitando.... veja meu blog, com algumas das minhas pinturas e desenhos:

http://olimpiopinheiro.blogspot.com/

Mary chardon said...

esta padre tus pinturas me encata la manera en el cual desarrollas tus tecnicas!!!